Xangai - A atividade do setor industrial da China encolheu com mais força do que o esperado em fevereiro, levando empresas menores a dispensar trabalhadores no ritmo mais acentuado em sete anos e sugerindo que Pequim terá que aumentar o estímulo para evitar uma desaceleração econômica mais profunda.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial caiu para 49,0 em fevereiro ante 49,4 em janeiro e abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração. Economistas consultados pela Reuters esperavam queda para 49,3.

Foi a leitura mais baixa desde novembro de 2011.

"O PMI veio muito mais fraco do que os mercados esperavam, indicando que as recentes medidas de afrouxamento tiveram impacto limitado em ajudar o setor industrial", escreveu o economista do Commerzbank Zhou Hao.

Já o PMI de indústria do Caixin/Markit, que foca mais em empresárias privadas pequenas e médias, mostrou que a atividade contraiu pelo 12º mês seguido. O índice caiu para 48,0, abaixo da expectativa de 48,3 e do dado de janeiro de 48,4.

O relatório do Caixin mostrou que as empresas dispensaram empregadores no ritmo mais forte desde janeiro de 2009. Já o PMI oficial, que tende a focar em empresas estatais maiores, tem mostrando persistente declínio no emprego nos últimos três anos e meio.

Por sua vez, o PMI oficial de serviços da China caiu de 53,5 em janeiro para 52,7 em janeiro, ainda em território de expansão mas a leitura mais fraca desde o final de 2008.

Tópicos: Ásia, China, Setores, Indústrias em geral, Indústria, Pequim