Brasília - O Índice de Commodities do Banco Central (IC-Br) caiu 1,48% em fevereiro na margem, conforme informou nesta quarta-feira, 2, a instituição.

De janeiro para o mês passado, o indicador passou de 186,87 pontos para 184,11 pontos.

Para efeitos de comparação, o BC também divulga em seu documento que o indicador internacional de commodities, o CRB, ficou praticamente estável em 0,03% na mesma comparação mensal.

A queda na margem que se viu em fevereiro foi puxada pelos produtos agropecuários, já que os metais e energia tiveram alta no período. O grupo energia avançou 0,08% de janeiro para fevereiro. 

Neste segmento, estão inclusos preços de gás natural, carvão e petróleo. No caso dos preços de metais - alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel - a elevação em fevereiro foi de 4,89% na margem.

Ainda sobre o mês passado, itens agropecuários, como carne de boi, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco, entre outros, caíram 2,97% em fevereiro.

No acumulado do ano, o IC-Br exibe elevação de 1,45%, com agropecuária em alta de 0,96%, metal subindo 6,93% e energia com queda de 3,77%. O CRB no período subiu 4,28%.

Já em 12 meses, o indicador do BC disparou 23,72%, com agropecuária em alta de 28,85%, metal subindo 17,25% e energia com baixa de 2,09%. O CRB do mesmo período avançou 29,17%.

Tópicos: Banco Central, Mercado financeiro, Commodities, Indicadores