A Embraer espera conseguir novos clientes na região Ásia-Pacífico e acredita que essa região responderá por um quarto da demanda mundial por aviões de passageiros de pequeno porte.

Mercados como a Indonésia serão “incríveis” para a fabricante, que também espera que seu único cliente indiano faça novas encomendas, disse o diretor comercial da Embraer, John Slattery, em entrevista para a Bloomberg TV no Singapore Airshow, na quarta-feira. 

Slattery disse que a fabricante poderá vender até 100 aviões na Indonésia, a maior economia do Sudeste Asiático.

A aposta da Embraer na região Ásia-Pacífico é semelhante à da Airbus e da Boeing, as duas maiores fabricantes de aviões do mundo, que também projetam que a região vai se tornar o maior mercado aeroespacial em duas décadas. 

Prevendo uma oportunidade, as empresas chinesas e japonesas do setor também estão construindo aviões pequenos para concorrer com a Embraer e com a canadense Bombardier.

A Embraer tem 20 clientes em 11 países asiáticos, que operam mais de 200 aeronaves, disse Slattery.

“Temos muito mais trabalho a fazer nessa região”, disse ele. “Estamos comprometidos com a região. Nós queremos crescer aqui”.

Segundo a Embraer, as empresas aéreas de todo o mundo precisarão de 6.350 aviões capazes de transportar de 70 a 130 passageiros nas duas próximas décadas. 

Essas aeronaves serão avaliadas em US$ 300 bilhões. Um quarto dessa projeção virá da Ásia, segundo a empresa.

A Embraer recebeu uma encomenda de US$ 2,9 bilhões da startup indiana Air Costa em 2014. Esse cliente anunciará novas encomendas neste ano, disse Slattery.

Tópicos: Aviação, Setores, Setor de transporte, Embraer, Empresas, Empresas de tecnologia, Empresas abertas, Ásia