A economia alemã poderá acelerar seu ritmo de crescimento no primeiro trimestre de 2016, graças ao baixo preço do petróleo, que dá maior margem ao consumo dos lares, informou nesta segunda-feira o Bundesbank (banco central).

"No primeiro trimestre de 2016, a economia alemã poderá progredir com um pouco mais de vigor que no final do ano passado", assinala a instituição em seu relatório mensal.

O Produto Interno Bruto (PIB) da principal economia europeia aumentou 0,3% tanto no terceiro como no quarto trimestre de 2015.

"O consumo deve dar maior dinamismo à atividade econômica graças a um aumento substancial do poder aquisitivo por causa de um novo retrocesso do preço do petróleo", acrescenta.

O consumo dos lares e das empresas já havia tido um papel motor no crescimento da economia alemã nos últimos meses do ano passado.

O Bundesbank aposta agora em um crescimento do PIB de 1,8% em 2016, um décimo acima da previsão do governo.

O PIB alemão cresceu 1,7% em 2015.

O banco central reitera sua convicção de que os gastos relacionados com a onda de refugiados poderão ser financiados sem colocar o orçamento federal em perigo.

A Alemanha recebeu no ano passado mais de um milhão de migrantes procedentes da Síria, Iraque e outras regiões em guerra ou atingidas pela miséria.

Tópicos: Alemanha, Europa, Países ricos, Energia, Petróleo, PIB, Indicadores