Paris - A atual diretora-executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI), a francesa Christine Lagarde, disse nesta sexta-feira que será candidata a um segundo mandato à frente da instituição.

Em entrevista ao canal de televisão "France 2", Lagarde afirmou: "sim, sou candidata para um segundo mandato" no processo de seleção que deve acontecer em março.

A ex-ministra francesa de Finanças se mostrou confiante que o procedimento judicial aberto contra ela na França, que aparece como um dos principais obstáculos às suas pretensões de continuar à frente do FMI, será resolvido a seu favor.

"Continuo considerando que atuei em interesse do Estado, de acordo com a lei", ressaltou, em relação ao processo que a acusa de "negligência" na gestão de recursos públicos por ter concedido uma indenização multimilionária do Estado ao empresário Bernard Tapie em 2007, enquanto estava à frente do ministério de Finanças.

O governo francês, sem se referir diretamente a um eventual novo mandato de Lagarde à frente do FMI, disse, através de uma declaração informal do primeiro-ministro, o socialista Manuel Valls, seu apoio à ministra de Finanças de Nicolas Sarkozy.

Valls, que assistiu ontem o Fórum Econômico de Davos, perguntado se seu Executivo apoiaria Lagarde, respondeu que seu ministro das Finanças, Michel Sapin, se pronunciaria rapidamente.

"Tudo o que posso dizer hoje é que as autoridades francesas apoiam Christine Lagarde e têm nela grande confiança". 

Tópicos: Christine Lagarde, Economistas, FMI, Europa, França, Países ricos