São Paulo - Em um esforço para promover a inserção de mais veículos verdes à frota, a China anunciou que todos os carros elétricos, híbridos ou movidos a células de combustível estão isentos de impostos sobre compra até 2017.

Com o corte, que reduz em 10% o preço de veículos nacionais e importados, o governo chinês espera tornar os ecológicos mais atraentes. A medida é parte da estratégia chinesa de combater os altos níveis de poluição atmosférica em suas grandes cidades.

Atualmente, existem cerca de 70.000 veículos elétricos em uso na China, mas até 2020 o governo espera que esse número aumente para cinco milhões.

Nos últimos anos, o país vem expandindo rapidamente sua rede de carregamento, uma das principais barreiras existentes para o uso de carro elétrico.

Empresas de energia locais como a State Grid (responsável pela tecnologia do linhão de Belo Monte), juntamente com empresas privadas, como a Tesla, já estão planejando a expansão generalizada de pontos de carregamento em várias cidades chinesas.

E as montadoras estão surfando essa onda. A BMW prevê que a China se tornará o maior mercado do mundo para os veículos elétricos, como resultados da expansão da infraestrutura de carregamento e incentivos dados pelo governo.

Para setembro, a fabricante alemã prepara o lançamento no país de seu primeiro elétrico em produção, o BMWi3 (foto).

Tópicos: Carros, Carros elétricos, Veículos, Carros verdes, Autoindústria, Guia de Carros, Impostos, Leão, Sustentabilidade