O Brasil e o México concluíram acordo que garante proteção recíproca da cachaça e da tequila nos mercados dos dois países.

As negociações, iniciadas em maio de 2015, durante viagem da presidente Dilma Rousseff ao México, foram finalizadas em visita esta semana ao país dos ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, e das Relações Exteriores, Mauro Vieira.

Na prática, o acordo significa que toda bebida vendida no Brasil com o nome de tequila será de fabricação mexicana, assim como toda cachaça vendida no mercado mexicano deverá ter sido fabricada no Brasil.

O acordo foi fechado ontem (22) e a informação divulgada hoje (23) pelo governo brasileiro.  Os ministros do Brasil encontraram-se na noite de segunda-feira com o secretário de Economia do México, Ildefonso Guajardo Villareal, com quem discutiram o assunto.

O acordo prevê que ainda será criado um grupo de trabalho para acompanhar sua implantação. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, em 2015 o Brasil exportou 40 mil litros de cachaça para o México, o que representou US$ 65,5 mil em vendas.

Na reunião com o secretário de Economia do México também foi abordado o Acordo de Complementação Econômica (ACE) 53, acordo de preferências tarifárias vigente entre Brasil e México. Atualmente, está em curso uma negociação entre os países para sua ampliação.

Tópicos: Bebidas alcoólicas, Comércio exterior, Comércio, México, América Latina