Pequim - Uma autoridade do banco central da China, falando em uma reunião a portas fechadas com dealers domésticos do mercado de dinheiro nesta terça-feira, reassegurou a eles que as condições monetárias permanecem abundantes e que o BC manterá suas operações monetárias de curto prazo estáveis neste ano, no momento em que reguladores agem para melhorar a comunicação com investidores após as taxas de juros de curto prazo terem subido com força na semana passada.

Quatro fontes que participaram da reunião recusaram-se a dar o nome da autoridade devido à sensibilidade das relações com o banco central, e pediram anonimato porque não estão autorizadas a falar com a imprensa.

Entretanto, elas disseram que a autoridade está envolvida no gerenciamento das operações de mercado aberto, durante as quais o banco retira e injeta recursos no mercado interbancário do país para controlar as taxas de juros de curto prazo e guiar a oferta de dinheiro do país.

A autoridade alertou os dealers de que os investidores institucionais devem evitar no futuro o empréstimo excessivo, ou alavancagem, para evitar que as deficiências de liquidez de curto prazo tenham muito impacto em suas condições de crédito, disseram as fontes.

A autoridade disse que as condições apertadas da semana passada devem-se principalmente aos players do mercado subestimando o impacto que os pagamentos de impostos terão nas taxas de curto prazo. O banco central havia realizado três operações consecutivas de mercado aberto antes desta terça-feira, quando injetou pequena quantia de recursos.

A passividade do banco central não foi acompanhada por qualquer esclarecimento público, e um membro do banco central disse à Reuters na semana passada que os reguladores estavam considerando ajustar ou apertar a oferta de crédito dados os sinais de que a inflações e os preços de imóveis estavam subindo de modo insustentável em setembro.

Como resultado, as taxas de curto prazo subiram na segunda-feira para o nível mais alto desde o fim de junho, quando comportamento similar do Banco do Povo da China, banco central do país, resultou em aperto de crédito que fez algumas taxas de curto prazo alcançarem 30 por cento.

A autoridade também disse que o BC chinês irá conduzir operações de mercado aberto atento às condições de liquidez tanto internas quanto externas, em particular à pressão aplicada ao sistema monetário por causa do fluxo de entrada de capitais.

Tópicos: Ásia, China, Iuane, Moedas, Câmbio, Juros