Barris de petróleo e de pólvora

São Paulo - Além das complexas questões políticas por trás da série de revoltas em países do mundo árabe e do Oriente Médio, alguns aspectos econômicos ajudam a explicar o por quê da tensão que se espalhou pelo mundo desde que os conflitos começaram. Um dos principais é o fato de que praticamente 80% das reservas mundiais de petróleo estão sob controle dos países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP). E dos 12 países membros da OPEP, sete são árabes e há ainda o Irã, importante país do Oriente Médio.

Segundo informações da própria organização, os países membros têm reservas equivalentes a 1,06 trilhão de barris de petróleo. Dos 10 países com as maiores reservas de petróleo no mundo, seis estão localizados na região dos conflitos. Dentre eles, a Líbia, que tem hoje a situação política mais delicada. Há mais de uma semana a população tem saídos às ruas para exigir a renúncia do ditador Muammar Kadafi. As manifestações da oposição têm sido duramente reprimidas pelo líder do país, dando origem a conflitos sangrentos. A Líbia detém 4,4% das reservas da OPEP, com 46,4 bilhões de barris de petróleo.

A instabilidade na região tem impacto direto no preço do petróleo no mundo todo. À medida que a violência na Líbia aumenta, analistas preveem cotações cada vez maiores para o preço do barril nos mercados. Chegou-se a falar que o valor do petróleo pode chegar a níveis tão elevados que são comparáveis ao período da Guerra do Golfo, nos anos 1980.

Além da Líbia, Arábia Saudita, Iraque, Irã, Kuwait e os Emirados Árabes Unidos estão entre os países na linha do rastilho de pólvora responsável pelas explosões de revoltas no mundo árabe. Todos eles figuram entre os principais produtores e exportadores de petróleo. Veja nos slides abaixo quais são os países com as maiores reservas do mundo.

Atualmente o Brasil tem uma reserva de aproximadamente 14 bilhões de barris. Considerando as estimativas de que o petróleo da camada pré-sal elevará esta quantidade para aproximadamente 28 bilhões, o país pode chegar à 12ª posição no ranking, ultrapassando os Estados Unidos (19,1 bilhões de barris) e o Catar (25,38 bilhões). 

Tópicos: Líbia, África, Oriente Médio, Energia, Petróleo