Aguarde...

Preços | 28/03/2014 15:00

Alta do IGP-M de março é caso isolado, avalia FGV

Segundo a FGV, o IGP-M de março apresentou uma aceleração de 1,29% ante a taxa de 0,38% em fevereiro

Flavio Leonel, do

Nacho Doce/Reuters

Solo ressecado é visto na represa de Jaguary, em Bragança Paulista

Solo ressecado: "Do salto de 1,29 ponto, pelo menos 1 ponto porcentual, é influência da estiagem", comentou superintendente adjunto de inflação do Ibre/FGV

São Paulo - Após registrar taxa de 1,67% em março e atingir o maior nível desde julho de 2008 (1,76%), o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) tende a mostrar uma natural desaceleração em abril.

A opinião é do superintendente adjunto de Inflação do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros.

Em entrevista à imprensa para detalhar os resultados do indicador elevado do terceiro mês de 2014, ele avaliou que o cenário visto no período foi um caso isolado movido pela forte estiagem que atingiu vários locais do Brasil e previu que, nos demais meses do ano, o índice não deve repetir tamanho avanço.

Segundo a FGV, o IGP-M de março apresentou uma aceleração de 1,29 ponto porcentual ante a taxa de 0,38% em fevereiro.

A inflação captada pelo indicador, que ainda é amplamente usado para reajustar o valor dos aluguéis no país, ficou acima do intervalo de estimativas dos economistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE Projeções, já que eles aguardavam taxa de 1,45% a 1,65%, com mediana de 1,54%. Foi também a maior para meses de março desde 1999, quando variou 2,83%.

"Do salto de 1,29 ponto, pelo menos 1 ponto porcentual, é influência da estiagem", comentou Quadros, referindo-se ao efeito que o clima gerou para o preços agropecuários do atacado.

"Até pode haver outros fatores que possam justificar esse avanço, mas a maior parte é a estiagem", reforçou, citando, como exemplo, altas importantes de itens, como a da soja em grão (de 4,06% em março ante queda de 6,38% em fevereiro), a do milho em grão (de 10,95% ante elevação de 2,48%) e dos bovinos (de 3,85% ante 1,41%).

Na abertura do IGP-M de março de 2014, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que representa 60% de todo o resultado geral, subiu 2,20% ante 0,27% em fevereiro.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados