Ministros avaliam impacto da seca na América Central

Encontro de ministros foi para compartilhar "as dificuldades, para encontrar soluções"

Manágua – Ministros da Agricultura da América Central, do México e da Colômbia avaliaram nesta quarta-feira os danos causados pela seca na região, a fim de coordenar ações junto a organismos internacionais, informou o governo nicaraguense.

“Esta manhã nossos ministros (da Agricultura) estiveram em videoconferência (…) analisando a situação e o que estamos fazendo” para aliviar o impacto da seca, declarou a porta-voz do governo, a primeira-dama Rosario Murillo, a veículos de comunicação oficiais.

Murillo disse que participaram da reunião os ministros dos países-membros do Projeto Meso-América, atualmente presidido pela Colômbia.

O encontro foi para compartilhar “as dificuldades, para encontrar soluções” e buscar assistência “com organismos especializados do continente, do mundo, para ver o que se pode fazer”, acrescentou Murillo, sem dar mais informações sobre os temas tratados.

Uma forte seca, preâmbulo do fenômeno meteorológico El Niño, afeta este ano América Central, Colômbia e México, causando prejuízos na agricultura e na pecuária.

A crise levou Costa Rica, Honduras e Guatemala a declararem situação de emergência nas zonas mais afetadas para assistir os agricultores.

Na última terça-feira, 5 de agosto, a Nicarágua admitiu que o país, um dos mais pobres da região, “vive a pior seca desde 1976” e que importará arroz, feijão e milho para evitar a escassez de alimentos.