McDonald’s manterá participação em lojas na China e em Hong Kong

Rede de fast-food afirmou em março que estava reorganizando suas operações na região, procurando parceiros estratégicos na China, Hong Kong e Coreia do Sul

Hong Kong – O McDonald’s planeja levantar de 1 bilhão a 2 bilhões de dólares com a venda de suas lojas na China e em Hong Kong depois que a cadeia de fast-food dos EUA decidiu manter “uma participação minoritária significativa no negócio”, disse nesta terça-feira uma pessoa com conhecimento direto dos planos.

A empresa escolheu um consórcio liderado pela empresa de private equity Carlyle Group e o conglomerado chinês Citic Group para comprar as lojas e sua decisão de manter a participação minoritária diminuiu o preço do negócio, dos até 3 bilhões de dólares esperados anteriormente, disse a pessoa, que pediu para não ser identificada porque os detalhes do negócio não são públicos.

O McDonald’s quer exposição ao crescimento futuro na segunda maior economia do mundo, razão pela qual decidiu manter a participação, disse a pessoa.

A empresa também vai manter por ora as suas lojas na Coreia do Sul, que antes também queria vender, acrescentou a fonte.

Uma porta-voz do McDonald’s em Xangai não quis comentar. A Carlyle se recusou a comentar e CITIC não respondeu imediatamente a um pedido de comentário feito pela Reuters.

O McDonald’s afirmou em março que estava reorganizando suas operações na região, procurando parceiros estratégicos na China, Hong Kong e Coreia do Sul.