May ativará artigo 50 para saída da UE até final de março

Depois que for ativado o artigo 50 em março, o Reino Unido pode ficar de fora da União Europeia em 2019

Londres, 2 out (EFE).- A primeira-ministra britânica, <a href=""><strong>Theresa May</strong></a>, disse neste domingo que o Reino Unido ativará o artigo 50 do Tratado de Lisboa, sobre a saída de um país comunitário da União Europeia (UE), antes do final de março de 2017.</p>

Em entrevista à “BBC”, a chefe do governo revelou pela primeira vez um calendário concreto sobre as futuras negociações para a saída britânica do bloco europeu.

Por causa do início do congresso anual do Partido Conservador britânico em Birmingham, centro da Inglaterra, May disse que informará hoje a seu partido sobre esta decisão, depois que o Reino Unido votou a favor da saída do bloco no referendo realizado em 23 de junho.

Depois que for ativado o artigo 50 em março, o Reino Unido pode ficar de fora da União Europeia em 2019, ao término do período de dois anos de negociações sobre a saída.

No entanto, esse processo de dois anos pode se estender se o Reino Unido e os outros países comunitários acordarem isso de forma unânime.

“Como se sabe, estive dizendo que não ativaríamos o artigo antes do fim deste ano para poder preparar certas coisas. Mas sim, vou dizer em meu discurso de hoje que vamos ativá-lo antes do final de março”, disse May ao programa do político Andrew Marr da emissora “BBC”.

May acrescentou que espera que os países comunitários possam preparar as negociações agora que sabem quando será ativado o artigo.

“Agora que sabem como será nosso calendário -(apesar de) não ter uma data exata-, podemos ter algum trabalho preparado para que, uma vez ativado, tenhamos um tranquilo processo de transição”, disse.

“Não é só importante para o Reino Unido, mas é importante para a Europa em seu conjunto que possamos fazer isto da melhor maneira possível a fim de ter a mínima alteração para os negócios e uma suave transição da UE”, explicou a primeira-ministra.

A política ressaltou que manterá o parlamento informado sobre o processo de negociação, mas avisou que não revelará tudo porque faz parte das negociações para conseguir o melhor acordo.

Ao mesmo tempo, May afirmou que será estudada a melhor maneira de controlar a imigração.

A primeira-ministra revelou este calendário após indicar que introduzirá no parlamento o projeto de lei que permitirá revogar a legislação que autorizou a incorporação do Reino Unido na União Europeia (UE).

Em uma entrevista ao dominical “The Sunday Times” divulgada hoje, May afirmou que o projeto será apresentado no começo do curso parlamentar do próximo ano, previsto para abril ou maio.

O projeto -contido no chamado discurso da Rainha, a partir do qual Elizabeth II lê na Câmara dos Lordes o programa legislativo do governo- revogará a Lei de Comunidades Europeias de 1972, com a qual Londres entrou no bloco europeu um ano depois.

Este plano dará a “máxima segurança, estabilidade e certeza aos trabalhadores, consumidores e empresários, assim como a nossos aliados internacionais”, acrescentou a política “tory”.

O “Brexit” centra o primeiro dia do congresso “tory”, apesar de May insistir que não quer que este tema domine totalmente as reuniões.EFE