Lew pede aumento do teto de endividamento dos EUA

O secretário do Tesouro voltou a pedir que o Legislativo aprove uma elevação do teto de endividamento o mais rápido possível

Washington – O limite de endividamento do governo federal dos Estados Unidos, que foi objeto de intensa discussão nos últimos anos, voltou ao centro das discussões nos Estados Unidos.

Na próxima segunda-feira, uma suspensão do teto concedida pelo Congresso irá expirar, o que significa que o governo federal pode ser novamente obrigado a fechar parte de seus serviços públicos, como aconteceu em 2011.

Hoje, o secretário do Tesouro, Jacob Lew, voltou a pedir que o Legislativo aprove uma elevação do teto de endividamento o mais rápido possível. O déficit fiscal do governo dos Estados Unidos está atualmente estimado em US$ 18,1 trilhões.

“A confiabilidade dos Estados Unidos não pode estar sujeita à barganha. Eu peço ao Congresso que resolve essa situação sem controvérsia”, disse.

Nesta sexta-feira, Lew também tomou algumas medidas para evitar a ameaça de suspensão dos pagamentos, como proibir que estados e municípios façam emissões de títulos de dívida, entre outras medidas. Estimativas feitas pela Comissão do Orçamento dos Estados Unidos (CBO, na sigla em inglês), as medidas podem postergar até outubro ou novembro o momento em que a dívida irá atingir o teto.

O partido Republicano, que controla as duas casas do Legislativo, pode tentar usar a questão para forçar o presidente Barack Obama a voltar atrás em questões importantes para os dois lados, como a imigração e a saúde.

No entanto, o líder dos senadores republicanos no Senado, Mitch McConnel, disse em uma entrevista de TV no final de semana passado que prefere que se partido não utilize tais táticas. “Deixei claro em novembro que não iremos fechar o governo ou dar um calote na dívida federal”, disse McConnell.

Ao invés disso, o senador sugeriu que o partido consiga a aprovação de algumas iniciativas republicanas “embarcando” elas no projeto de lei que autorizaria a elevação do teto.

O pé de guerra entre a Casa Branca e o Congresso fez o país receber seu primeiro rebaixamento soberano em agosto de 2011, pela agência Standard & Poor’s. Em Outubro de 2013, o governo federal foi obrigado a fechar parcialmente por 16 dias, até que os congressistas aprovassem a suspensão temporária do teto. Fonte: Associated Press.