Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,66 0,08%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:20 FONTE

Lagarde deve ficar no FMI, diz ex-representante dos EUA

A França também afirmou estar confiante na capacidade dela de realizar suas funções, mesmo após Lagarde receber uma condenação em seu próprio país

Washington – A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, tem apoio e deve continuar à frente da instituição, afirmou Doug Rediker, ex-representante dos Estados Unidos no conselho executivo do Fundo.

O governo da França também afirmou estar confiante na capacidade dela de realizar suas funções, mesmo após Lagarde receber uma condenação em seu próprio paísO governo da França também afirmou estar confiante na capacidade dela de realizar suas funções, mesmo após Lagarde receber uma condenação em seu próprio país.

Um porta-voz disse que o conselho executivo do FMI se reunirá em breve para considerar a decisão.

Mais cedo, Lagarde foi considerada culpada por negligência durante o período em que era ministra das Finanças da França. O episódio envolve uma disputa entre o Estado francês e o empresário Bernard Tapie.

Mais cedo neste ano, Lagarde foi confirmada para um segundo mandato como diretora-gerente do Fundo – o conselho do FMI já sabia sobre o caso antes de nomeá-la em 2011.

A decisão do tribunal de não impor uma sentença favorece Lagarde, já que no país ela poderia ter pegado um ano de prisão e multa de até 15 mil euros.

Rediker disse que o FMI deve apoiar Lagarde, diante do desempenho dela no primeiro mandato e de seu amplo apoio entre os membros do órgão.

Segundo ele, o trabalho de Lagarde é muito bem avaliado e o julgamento na França foi “pelo menos em algum grau político, não exclusivamente legal”.

“E, diante da fragilidade e da incerteza globais, ninguém quer colocar em dúvida a liderança de mais uma importante instituição”, afirmou.

Lagarde diz ser inocente e não compareceu ao tribunal, sendo representada por advogados. Um dos advogados, Patrick Maisonneuve, disse que a equipe jurídica da diretora-gerente do FMI avaliará o veredicto e decidirá se apelará.

O advogado ressaltou que ela não recebeu punição.

Quando ministra, Lagarde deu sinal verde para uma arbitragem que acabou por determinar o pagamento de 405 milhões de euros (US$ 423 milhões) do Estado francês ao empresário.

O tribunal considerou que Lagarde não era culpada por negligência por mandar o caso para arbitragem, mas sim por não tentar anular a decisão desfavorável.

Os advogados disseram-se surpresos, argumentando que ela buscou sim várias opiniões legais para tentar anular essa decisão. Fonte: Dow Jones Newswires.