Juros brasileiros continuam sendo os mais altos do planeta

Corte maior do que o esperado não foi suficiente para tirar o título do Brasil, seguido de Rússia, Índia e México; veja ranking

São Paulo – O ritmo de corte dos juros foi acelerado hoje.

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) reduziu a Selic em 0,75 ponto percentual, de 13,75% para 13%.

A maior parte dos analistas apostava em um corte mais tímido, mas mesmo assim o Brasil segue no posto de economia com os maiores juros reais do planeta.

A conta, que subtrai a inflação dos juros nominais, é feita a cada reunião do Copom pelo site MoneYou com  a Infinity Asset Management.

O Brasil é líder absoluto, seguido de Rússia, Índia e México. Nos últimos lugares estão Bélgica, Argentina e Venezuela.

Veja a seguir os juros reais (taxa de juros dos últimos 12 meses descontada a inflação dos últimos 12 meses) nas 40 principais economias do mundo:

Juros reais
Brasil 5,62%
Rússia 4,36%
Índia 2,53%
México 2,36%
China 2,00%
Indonésia 1,68%
Colômbia 1,65%
Malásia 1,18%
Grécia 0,91%
Chile 0,78%
Polônia 0,69%
Singapura 0,46%
Israel 0,40%
Filipinas 0,39%
África do Sul 0,38%
Tailândia 0,37%
Austrália 0,20%
Coreia do Sul 0,05%
Hong Kong -0,20%
Hungria -0,20%
Taiwan -0,31%
Turquia 0,49%
Itália -0,50%
França -0,60%
Portugal -0,60%
Japão -0,60%
Canadá -0,69%
Suíça -0,75%
Estados Unidos -0,93%
Reino Unido -0,94%
Holanda -0,99%
Áustria -1,55%
Dinamarca -1,28%
República Tcheca -1,43%
Espanha -1,48%
Alemanha -1,67%
Suécia -1,87%
Bélgica -1,99%
Argentina -11,21%
Venezuela -56,40%