Irã cumpriu compromisso de remodelar usina nuclear, diz AIEA

O acordo, assinado após quase dois anos de negociações, busca garantir que o Irã não tem a capacidade de desenvolver armas atômicas

Viena – O Irã terminou de retirar as centrífugas de urânio e outras infraestruturas da usina nuclear de Fordow, como exigia o acordo assinado com o Grupo 5+1 – Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido, mais Alemanha -, informou nesta segunda-feira a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

“O Irã retirou as centrífugas e as infraestruturas restantes da usina de enriquecimento de combustível de Fordow, em linha com os compromissos do Plano Integral de Ação Conjunta (JCPOA, na sigla em inglês)”, constatou a AIEA em comunicado divulgado hoje.

O pacto obrigava o Irã a remodelar a instalação e retirar parte das centrífugas um ano depois da entrada em vigor do acordo, no dia 16 de janeiro de 2016.

O compromisso era que Fordow deixasse de ser uma fábrica de produção de urânio enriquecido, o combustível que alimenta as usinas nucleares e também as bombas atômicas, para passar a ser um centro de desenvolvimento de tecnologia nuclear e física.

O diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, confirmou que o órgão verificou que o Irã tomou as medidas cabíveis em relação à Fordow dentro do prazo estabelecido pelo JCPOA.

O acordo, assinado após quase dois anos de negociações e mais de uma década de conflito, busca garantir que o Irã não tem a capacidade de desenvolver armas atômicas.

Em troca, a comunidade internacional deveria retirar as sanções políticas e econômicas contra a República Islâmica.