IPC-S desacelera alta a 0,49% na 2ª quadrissemana de fevereiro

Dados da Fundação Getulio Vargas sobre a inflação semanal foram divulgado nesta quinta-feira

São Paulo – A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) ficou em 0,49% na segunda quadrissemana de fevereiro, informou nesta quinta-feira, dia 16, a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado ficou 0,12 ponto porcentual abaixo do registrado na leitura imediatamente anterior, quando o indicador apresentou variação de 0,61%.

Das oito classes de despesas analisadas, cinco apresentaram decréscimo em suas taxas de variação nesta apuração: Educação, Leitura e Recreação (3,34% para 2,50%), Alimentação (0,20% para -0,01%), Transportes (0,82% para 0,75%), Despesas Diversas (0,40% para 0,25%) e Comunicação (0,41% para 0,35%).

Em contrapartida, registraram acréscimo em suas taxas de variação na segunda quadrissemana de fevereiro os grupos Habitação (0,34% para 0,39%), Vestuário (-0,13% para -0,04%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,39% para 0,41%).

O grupo Educação, Leitura e Recreação foi o que mais contribuiu para o resultado do IPC-S, segundo a FGV. Nessa classe de despesas, a entidade destacou o comportamento do item cursos formais, cuja taxa passou de 7,01% para 4,21%.

Dentre as outras classes de despesas que registraram decréscimo em suas taxas de variação, a FGV destacou o comportamento dos itens carnes bovinas (-0,73% para -1,49%), no grupo Alimentação, gasolina (-0,37% para -0,56%), em Transportes, alimentos para animais domésticos (0,99% para -0,01%), no segmento Despesas Diversas, e tarifa de telefone móvel (1,00% para 0,82%), em Comunicação.

De forma isolada, os itens com as maiores influências de baixa foram feijão carioca (-14,47% para -15,69%), batata-inglesa (-9,97% para -11,76%), tarifa de táxi (-5,84% para -4,09%), gasolina (-0,37% para -0,56%) e banana-nanica (-4,61% para -9,70%).