Grécia apresenta novo plano e credores veem alguma esperança

O país se afasta do abismo ao apresentar novas propostas de reforma que os ministros da zona do euro receberam cautelosamente bem

Bruxelas – A Grécia afastou-se do abismo na segunda-feira quando apresentou novas propostas de reforma que os ministros das finanças da zona do euro receberam cautelosamente bem como uma possível base para um acordo nos próximos dias para evitar um calote.

Os mercados acionários europeus e os ativos gregos subiram com esperanças de um acordo de último minuto para aliviar uma crise que está ameaçando tirar a Grécia da zona do euro e enfraquecer as fundações de moeda única da União Europeia.

Líderes dos 19 países que compartilham o euro chegaram para uma reunião de emergência em Bruxelas expressando algum otimismo com as propostas gregas, incluindo impostos mais altos e ações para evitar aposentadoria antecipada, que poderiam levar a um acordo esta semana.

A Grécia precisa pagar 1,6 bilhão de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) até 30 de junho ou será declarada em default, potencialmente provocando uma corrida aos bancos e controles de capital.

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, descreveu o novo documento grego como compreensivo e “uma base para realmente reiniciar as conversas”, mas disse que as negociações nos próximos dias mostrariam os desdobramentos.

“Vamos trabalhar muito duro nos próximos dias, as instituições com o governo grego, para chegar a esse acordo nesta semana”, disse ele.

A chanceler alemã, Angela Merkel, enfrentando grande resistência para conceder qualquer ajuda adicional, foi cautelosa ao chegar no encontro.

“Após a reunião do Eurogrupo não há base para uma decisão, então essa só pode ser uma cúpula de aconselhamento”, disse Merkel. Seu ministro das Finanças, Wolfgang Schaeuble, mais linha-dura com a Grécia, disse mais cedo a jornalistas que não tinha visto nada novo da Grécia.

No entanto, outros líderes foram mais otimistas. O presidente francês, François Hollande, disse a repórteres: “Eu espero que o trabalho conduzido nos últimos dias pela Grécia e pelas instituições coloque as bases para um acordo que deve ser alcançado assim que possível… Há melhoras, ainda que nem tudo tenha sido resolvido”.

Dijsselbloem deixou claro que a apresentação das propostas de último minuto da Grécia significavam que os ministros das finanças não poderiam tomar uma decisão até que a Grécia apresente os detalhes nos próximos dias a seus credores: A Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional.

Com os correntistas ansiosos continuando a sacar dinheiro, embora aparentemente em menor quantidade nesta segunda-feira ante a semana passada, o BCE aumentou sua assistência emergencial de liquidez aos bancos gregos pela terceira vez em uma semana.

Na sua proposta, a Grécia ofereceu elevar gradualmente a idade de aposentadoria dos gregos para 67 anos e conter aposentadorias antecipadas. Também ofereceu reformar o sistema de imposto sobre valor agregado para determinar a alíquota básica em 23 por cento.