Governo suspendeu Tesouro Direto por efeitos da eleição

"Houve eleição ontem e os títulos estavam sendo reprecificados em função do resultado", disse o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública

Brasília – O Tesouro Nacional suspendeu as vendas do Tesouro Direto do final da tarde de domingo, 26, até a manhã desta segunda-feira, 27, devido aos efeitos da eleição e à elevação nas taxas de juros futuros, segundo o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Fernando Garrido.

Segundo o Tesouro, sempre que há volatilidade mais expressiva, a instituição toma essa atitude.

“Houve eleição ontem e os títulos estavam sendo reprecificados em função do resultado”, disse.

“O mercado chegou a novo patamar de preços, mais estável, e o Tesouro Direto está vendendo os títulos, como sempre, a preço de mercado”, afirmou.

“Houve elevação nas taxas de juros futuros de sexta para hoje.”

“O motivo da suspensão das vendas no Tesouro Direto é simples. É o mesmo motivo que leva à suspensão em noites que ocorre reunião do Copom: proteger o investidor de variações de preços de títulos no mercado”, disse.

“Para que o investidor não perca ou para que o próprio Tesouro não perca dinheiro nessas operações, a prudência recomenda suspender as vendas e retomar posteriormente”.