Governadores propõem trocar ajuste por novos empréstimos

A partir de 1º de janeiro, somente os Estados que tiverem aprovado as medidas de ajuste nas assembleias poderão pedir operações de crédito

Os governadores entregaram uma carta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, nesta quarta-feira, propondo um ajuste nas contas estaduais em troca de autorização do Tesouro Nacional para novos empréstimos.

Segundo o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), a condição para novos empréstimos é que as operações propostas até dezembro de 2016 continuem com as premissas atuais.

A partir de 1º de janeiro, somente os Estados que tiverem aprovado as medidas de ajuste nas assembleias poderão pedir operações de crédito com aprovação da União.

Após a reunião com o Ministro da Fazenda, Perillo informou que os governadores devem se encontrar com a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), se comprometendo com o ajuste fiscal e vão retirar as ações que tratam sobre os valores das multas do programa de regularização de ativos brasileiros no exterior a serem repassados para Estados e municípios.

“O compromisso é de todos nós (governadores) retirarmos as ações desde que esse entendimento tenha sido feito”, afirmou Perillo.

Antes da reunião ele assegurou que todos os governadores concordaram em ter uma alíquota mínima previdenciária de 14 por cento para os servidores estaduais.

A Fazenda informou que deve publicar uma nota sobre a negociação com os governadores.