Galvão Engenharia quer participar do trem-bala

Brasília – Além de participar do consórcio responsável pelas obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, a empresa Galvão Engenharia pretende participar das obras do Trem de Alta Velocidade (TAV) que vai ligar São Paulo, o Rio de Janeiro e Campinas e, para isso, deverá firmar parceria com alguma empresa asiática. A afirmação foi feita hoje (10) pelo presidente da Galvão Participações, Dario Galvão, e pelo presidente do Conselho de Administração da Galvão Engenharia, José Rubens Goulart Pereira.

“Temos interesse no TAV porque sabemos que há demanda, uma vez que o fluxo [de passageiros] é muito grande entre São Paulo e o Rio e porque essa é uma tendência mundial”, disse Goulart ao deixar a Casa Civil, onde se encontraria com a ministra Erenice Guerra. A reunião acabou não ocorrendo porque Erenice está participando de reunião ministerial convocada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo Dario Galvão, apesar de os especialistas da empresa ainda não terem finalizado os estudos sobre o edital de licitação do TAV, já dá para adiantar que “o negócio parece viável”, e que há tempos “o mundo trabalha nisso”.

Ele adiantou que a empresa de engenharia já iniciou conversações visando à “parceria com asiáticos”, mas não revelou se essa parceria seria com japoneses, coreanos ou chineses.

Sobre as obras da Usina de Belo Monte, na qual tem 1,25% de participação, Dario disse que a empresa está “preparada para executar toda a obra”. Lembrou que tudo dependerá dos estudos que serão apresentados pelas elétricas que coordenam o processo. “Estamos aguardando a conclusão dos estudos delas para definir [as obras que serão tocadas pela Galvão Engenharia]”, acrescentou.

Veja mais sobre Transporte

Siga as últimas notícias de Negócios no Twitter