França apresenta medidas contra déficit orçamentário

Ministro da economia Michel Sapin anunciou ações como corte das taxas de juros, que reduz o custo do financiamento da dívida do país

Paris – Atingida pela crise, a França – criticada pela União Europeia por desrespeitar normas do bloco – anunciou nesta segunda-feira que adotará “novas medidas” a fim de reduzir seu déficit de 3,6 bilhões de euros (4,6 bilhões de dólares).

O ministro da economia Michel Sapin anunciou que há algumas “boas notícias”, como o corte das taxas de juros, que reduz o custo do financiamento da dívida do país, permitindo que a França reduza seu déficit.

Paris afirmou que no ano que vem o déficit será de 4,3% do PIB, muito acima dos 3% determinado por Bruxelas, que pede mudanças no orçamento francês.

O comissário de assuntos econômicos da UE, Jyrki Katainen, escreveu a Paris pedindo explicações sobre o aumento do déficit, de acordo com uma carta confirmada pelo presidente francês, Francois Hollande, na sexta-feira.

A França surpreendeu seus parceiros europeus em setembro por voltar atrás no seu compromisso de manter o déficit abaixo dos 3% em 2015.

A meta foi adiada para 2017 -ano seguinte às eleições presidenciais do país-, colocando a segunda economia da zona do euro em rota de colisão com Bruxelas.