Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

EUA reclamam da China na OMC sobre subsídios para alumínio

O Departamento de Comércio dos EUA afirmou as ações da China sobre o setor alumínio violam regras da OMC que proíbem subsidíos

Washington – O governo norte-americano lançou nesta quinta-feira uma nova reclamação na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra subsídios chineses ao alumínio, acusando a China de expandir sua participação no mercado global por meio de empréstimos estatais diretos de baixo custo e energia subsidiada.

A queixa, que busca explicações de Pequim sobre o assunto, provavelmente vai adicionar tensão a relações comerciais já abaladas entre as duas maiores economias do mundo uma vez que o presidente-eleito, Donald Trump, se prepara para assumir a Casa Branca na próxima semana com promessa de colocar como principal prioridade reduzir o déficit comercial norte-americano com a China.

O Departamento de Comércio dos EUA afirmou as ações da China sobre o setor alumínio violam regras da OMC que proíbem subsidíos que causam “sério prejuízo” a outros membros da organização.

“A China dá a sua indústria de alumínio uma vantagem injusta por meio de empréstimos baratos e outros subsídios governamentais ilegais”, disse o presidente norte-americano, Barack Obama, em comunicado que acompanhou o anúncio da queixa.

O departamento afirma que a capacidade de produção de alumínio primário da China mais que quadruplicou entre 2007 e 2015, enquanto os preços globais caíram cerca de 46 por cento. A China atualmente produz mais da metade do alumínio do mundo.

Ao mesmo tempo, a produção norte-americana de alumínio caiu 37 por cento apesar do aumento do consumo interno.

Nove das 14 produtoras dos EUA de alumínio suspenderam produção desde 2011 e apenas uma está operando à plena capacidade, afirmou o departamento de comércio do país.