Entrada de dólares supera saída em US$ 11,103 bi no ano

No mesmo período de 2014, o fluxo cambial estava positivo em US$ 2,586 bilhões

Brasília – Em 2015, até o dia 25 de setembro, o país registra uma entrada de dólares superior à saída de US$ 11,103 bilhões, de acordo com dados do Banco Central divulgados nesta quarta-feira, 30. 

No mesmo período de 2014, o fluxo cambial estava positivo em US$ 2,586 bilhões.

No período, as saídas líquidas da área financeira (que reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações) somaram US$ 6,020 bilhões.

Neste segmento foram registrados ingressos de US$ 391,145 bilhões e envios de US$ 397,166 bilhões.

No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 17,123 bilhões nos meses em questão, com importações de US$ 119,483 bilhões e exportações de US$ 136,606 bilhões.

Nas exportações, estão incluídos US$ 27,098 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 31962 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 77,546 bilhões em outras operações.

Setembro

No mês de setembro até o dia 25, as saídas de dólares do Brasil foram maiores do que as entradas em US$ 172 milhões, após agosto ter fechado no azul em US$ 4,111 bilhões.

A saída de dólares pelo canal financeiro em setembro até o dia 25 foi de US$ 1,054 bilhão, resultado de ingressos no valor de US$ 32,025 bilhões e de envios no total de US$ 33,080 bilhões.

Ao longo de todo o ano passado, a área financeira foi a principal porta de saída de recursos do país, somando US$ 13,4 bilhões.

Já no comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 882 milhões no mês até dia 25, com importações de US$ 10,356 bilhões e exportações de US$ 11,238 bilhões.

Nas exportações, estão incluídos US$ 2,305 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 2,192 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 6,741 bilhões em outras entradas.

Semana

Na semana de 21 a 25 de setembro, o Banco Central também registrou saídas de dólares acima dos ingressos. O valor ficou negativo em US$ 555 milhões, com destaque para a área financeira, que teve remessas líquidas de US$ 461 milhões.

O resultado é a diferença entre entradas de US$ 11,445 bilhões e de envios de US$ 11,906 bilhões.

No mesmo período, no comércio exterior, o saldo ficou negativo em US$ 94 milhões, com importações de US$ 3,360 bilhões e exportações de US$ 3,266 bilhões.

Nas exportações, estão incluídos US$ 568 milhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 569 milhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 2,130 bilhões em outras operações.