Em um ano, produção industrial encolheu 5,2%, aponta IBGE

Nesta comparação, as estimativas iam de retração de 2,70% a 6,80%

Rio – A produção industrial cresceu 2,0% em janeiro ante dezembro, na série com ajuste sazonal, divulgou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em sua Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF).

O resultado ficou dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que iam de queda de 0,60% a crescimento de 3,60%, e acima da mediana estimada, positiva em 1,30%.

Em relação a janeiro de 2014, a produção da indústria brasileira caiu 5,2%. Nesta comparação, as estimativas iam de retração de 2,70% a 6,80%, com mediana negativa de 5,00%. Em 12 meses até janeiro, a produção industrial nacional acumula queda de 3,5%.

O índice de Média Móvel Trimestral da indústria recuou 0,8% em janeiro ante dezembro. No mês anterior, a média móvel havia registrado queda de 1,4%, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF).

A produção da indústria de bens de capital cresceu 9,1% em janeiro ante dezembro. Na comparação com janeiro de 2014, o indicador mostra queda de 16,4%.

No acumulado em 12 meses até janeiro houve queda de 10,9% na produção de bens de capital.

Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou redução de 1,1% na passagem de dezembro para janeiro. Na comparação com janeiro do ano passado, houve recuo de 7,4%. No acumulado em 12 meses, a queda foi de 2,9%.

Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de janeiro foi de redução de 1,4% ante dezembro, e recuo de 13,9% em relação a janeiro de 2014. Em 12 meses, a queda ficou em 9,9%.

Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve redução na produção de 0,3% em janeiro ante dezembro, e recuo de 5,3% na comparação com janeiro do ano passado. Em 12 meses, o resultado foi de redução de 0,7%.

Para os bens intermediários, o IBGE informou que o indicador teve crescimento de 0,7% em janeiro ante dezembro. Em relação a janeiro do ano passado, houve recuo de 2,4%. No acumulado em 12 meses, o instituto observou queda de 2,7%.