Egito anuncia construção de nova capital administrativa

Para evitar o aumento da periferia de Cairo, o país vai investir US$ 500 bi na cidade, que abrigará arranha-céus, prédios do governo, universidades e parques

Sharm el-Sheikh – As autoridades do Egito anunciaram nesta sexta-feira a construção de uma nova capital administrativa para o país, que ficará localizada ao sul do Cairo e para onde serão transferidos todos os edifícios oficiais nacionais e internacionais.

O ministro da Habitação, Mustafa Madbuli, disse que a construção desta “cidade do futuro” será iniciada imediatamente.

Em pronunciamento durante a conferência econômica realizada em Sharm el-Sheikh, Madbuli a descreveu como “uma capital internacional de alto nível”, a comparou a Barcelona e explicou que ela receberá as embaixadas, universidades, o Palácio Presidencial, o parlamento, os ministérios e demais edifícios que atualmente ficam no Cairo.

A primeira fase da megaobra, que terá 105 quilômetros quadrados de área construída, custará US$ 500 bilhões, acrescentou.

A ideia é que ela receba inúmeros arranha-céus, um aeroporto, grandes jardins, que o ministro comparou ao Central Park, de Nova York, e um parque que terá, segundo ele, “quatro vezes o tamanho da Disneylândia”.

“A ideia surgiu quando nos demos conta de que nos próximos 40 anos o número de moradores do Cairo vai se multiplicar, e teríamos que encontrar uma solução para evitar um aumento da periferia da atual capital”, explicou.

A nova cidade, de acordo com o ministro, será construída com “as melhores técnicas e tecnologias” porque, advertiu, tem o “único objetivo de melhorar a qualidade de vida dos cidadãos egípcios”.

A cidade ficará entre o Canal de Suez e Ain Sojna, a 45 quilômetros do centro do Cairo e a 32 do aeroporto internacional da atual capital.