Confiança da indústria volta a cair em agosto, diz CNI

Apesar de índice ainda apontar otimismo do setor, patamar é mais baixo que a média histórica

Brasília – Depois de dois meses no mesmo patamar, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) voltou a cair em agosto, atingindo 56,4 pontos. Embora ainda expresse otimismo na indústria em relação à economia brasileira e à própria empresa, o indicador está abaixo da média histórica, de 59,6 pontos.

Pelo critério utilizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o ICEI varia de zero a 100 pontos, sendo que valores acima de 50 pontos indicam empresários confiantes. Por isso, embora as expectativas continuem positivas, o setor está menos otimista que nos últimos dois meses, quando o índice foi de 57,9 pontos. Na comparação com agosto de 2010, houve uma queda de 7,6 pontos.

Segundo a CNI, a queda da confiança ocorreu para todos os portes de empresa e para quase todas as regiões brasileiras, com exceção do Nordeste. A piora do índice ocorreu em função do pessimismo registrado em relação às condições atuais da economia brasileira e da própria empresa. Nestes itens, os indicadores ficaram abaixo de 50 pontos – a única exceção foi o setor de borracha.

No entanto, as expectativas sobre a economia brasileira e para a própria empresa nos próximos seis meses continuam otimistas (60,7 pontos), embora em menor grau que nos últimos meses. Dos 26 setores considerados da indústria de transformação, 19 registraram queda das expectativas sobre a economia brasileira para os próximos seis meses. Apenas Madeira, Veículos Automotores e Máquinas e Materiais Elétricos registraram índices de expectativas inferiores a 50 pontos.

A CNI pesquisou 2.347 empresas, entre os dias 1 e 16 de agosto deste ano.