Chuvas voltam às áreas de soja do país só em janeiro, diz Somar

Chuvas previstas para o início de janeiro devem ajudar no desenvolvimento das lavouras que ainda precisam de umidade para obterem boas produtividades

São Paulo – Após um período quente e com pouca chuva na maior parte das áreas produtoras de soja do Brasil, as precipitações voltam no início de janeiro com mais intensidade no Paraná e nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, além do Tocantins, Maranhão e Pará, previu nesta quarta-feira a Somar Meteorologia.

Enquanto o tempo pouco chuvoso nesta semana deve beneficiar aqueles produtores com soja pronta para a colheita, as chuvas previstas para o início de janeiro devem ajudar no desenvolvimento das lavouras que ainda precisam de umidade para obterem boas produtividades.

De maneira geral, a colheita de soja, principal produto de exportação do Brasil, está começando de forma antecipada neste ano no país.

Relatório da Somar havia apontado anteriormente divergências entre modelos meteorológicos. Enquanto o brasileiro CPTEC-INPE indicava volta da chuva para o centro e norte do Brasil após 5 de janeiro, a simulação americana GFS mantinha o padrão de chuva somente sobre o Sul.

A Somar aponta ainda, para os primeiros dez dias de janeiro que a chuva também retorna para o oeste da Bahia, mas com baixo volume acumulado. No Rio Grande do Sul, no mesmo período, a chuva não para completamente, mas enfraquece.

Nos próximos dias, as chuvas serão fracas na maior parte das regiões produtoras de soja, segundo a Somar.

“O acumulado passa dos 30 milímetros em cinco dias somente no Rio Grande do Sul, na divisa dos três Estados do Centro-Oeste e na região do Bico de Papagaio, no norte de Tocantins.”