China precisa reduzir dependência de crédito, alerta FMI

Em documento, o Fundo argumenta que Pequim está se apoiando excessivamente no crédito para atingir "metas de crescimento insustentavelmente altas"

Pequim – A China precisa reduzir sua dependência de investimentos alimentados por crédito e lidar com a questão do aumento das dívidas das empresas e outros desequilíbrios enquanto esses problemas ainda são gerenciáveis, defendeu hoje o Fundo Monetário Internacional (FMI) em relatório.

Em documento anual sobre o gigante asiático, o Fundo argumenta que Pequim está se apoiando excessivamente no crédito para atingir “metas de crescimento insustentavelmente altas”.

Segundo o FMI, a China precisa estar atenta ao avanço no endividamento do setor corporativo, reformar empresas estatais e fortalecer o sistema financeiro para reduzir efeitos que comprometem o desempenho econômico do país.

Ainda no relatório, o Fundo citou o risco crescente de que ocorra uma onda de calotes de empresas, de que o crescimento mais fraco da economia perdure e de que ocorra um “pouso forçado” em regiões que sofrem com o problema do excesso de capacidade industrial se o governo chinês não for ágil em seus esforços de reformas.

Fonte: Dow Jones Newswires.