Carnes, energia e ônibus respondem por 0,24 pp do IPCA-15

O destaque foi Porto Alegre, com alta de 11,80%

Rio – Os preços das carnes subiram 3,24% em janeiro, levando o item a exercer o maior impacto sobre a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) do mês, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As carnes contribuíram com 0,09 ponto porcentual para a taxa de 0,89% apurada pelo IPCA-15 no mês.

A tarifa de energia elétrica ficou na segunda colocação no ranking de maiores impactos, com contribuição de 0,08 pp, decorrente da alta de 2,60% no mês. As regiões metropolitanas de Fortaleza (-4,82%) e Salvador (-1,91%) tiveram queda na tarifa devido à redução do PIS/Cofins, mas os demais locais apresentaram aumento.

O destaque foi Porto Alegre, com alta de 11,80% resultante do reajuste de 22,41% em uma das concessionárias em 8 de dezembro de 2014.

Em janeiro, o indicador apropriou em todas as regiões parte do efeito do Sistema de Bandeiras Tarifárias, que passou a vigorar a partir de primeiro de janeiro e repassa ao consumidor os custos do acionamento de usinas térmicas.

No terceiro lugar de maiores impactos para a inflação do mês estão os ônibus urbanos, com influência de 0,07 ponto porcentual e alta de 2,85%. Houve reajustes no Rio de Janeiro (alta de 4,67% devido ao reajuste de 13,34% na tarifa em 2 de janeiro); em Belo Horizonte (aumento de 4,21% decorrente do reajuste de 8,77% em 29 de dezembro); São Paulo (aumento de 4,00% graças à alta de 16,66% em 6 de janeiro); Salvador (2,31%, devido ao aumento de 7,00% na tarifa em 02 de janeiro); e no Recife (1,00%, decorrente do reajuste de 13,50% em 11 de janeiro).

Juntos, os três maiores impactos da lista – carnes, energia e ônibus urbano – responderam por 0,24 ponto porcentual do resultado do IPCA-15 de janeiro.