BC adverte sobre riscos de eventual desvalorização do real

Tombini não detalhou quais seriam esses riscos, mas destacou as iniciativas do governo para se defender do elevado fluxo de dólares provenientes do exterior

São Paulo – O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, advertiu nesta terça-feira sobre os riscos de uma eventual desvalorização do real pelas medidas do governo para conter a forte valorização da moeda brasileira frente ao dólar.

Em audiência pública no Senado, Tombini não detalhou quais seriam esses riscos, mas destacou as iniciativas do governo para se defender do elevado fluxo de dólares provenientes do exterior. Ele advertiu também sobre a importância de o setor privado se proteger a possíveis oscilações cambiais. “O câmbio é flutuante para os dois lados”, ressaltou Tombini.

Ao longo deste ano, a moeda brasileira teve apreciação de 6,18% em relação ao dólar, cuja cotação atingiu R$ 1,558 na semana passada, nível mais baixo desde janeiro de 1999, quando se introduziu a livre flutuação da moeda.

Em Londres, durante uma conferência nesta terça-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, manifestou que o governo analisa um novo pacote de medidas para frear a valorização da divisa brasileira. Mantega afirmou à imprensa brasileira na capital britânica que essas medidas não devem ser antecipadas, mas sim tomadas primeiro, para depois serem comentadas. “Estamos atentos a esse problema”.

O ministro, que evitou dar detalhes das iniciativas que seriam tomadas nos mercados futuros e de derivados, criticou os Estados Unidos pelas medidas “atípicas” para manter o dólar “fraco” e aumentar o volume de suas exportações.