Bank of America e Credit Suisse negociam empréstimo ao Rio

O Bradesco também está entre os bancos que negociam o empréstimo, disseram as fontes

São Paulo – O Bank of America e o Credit Suisse estão entre os bancos que negociam um empréstimo de R$ 3,5 bilhões ao Rio de Janeiro para ajudar o estado a reestruturar suas dívidas, disseram três pessoas com conhecimento direto do assunto.

O Bradesco também está entre os bancos que negociam o empréstimo, disseram as pessoas, pedindo anonimato porque as negociações são privadas.

Segundo os termos do empréstimo em discussão, o governo federal pode dar garantia ao empréstimo e as ações da Cedae, empresa pública estadual de água e esgoto, podem ser usadas como colateral, disseram as pessoas.

O Banco do Brasil estava nas conversas iniciais, mas não vai mais participar do empréstimo, pois o Congresso não mudou a Lei de Responsabilidade Fiscal permitindo ao banco público financiar despesas correntes de governos, uma outra pessoa disse.

As finanças do estado do Rio foram afetadas pela maior recessão da história, levando ao atraso de pagamento de salário de servidores, fornecedores e credores internacionais.

Os detalhes do empréstimo de socorro ao Rio devem ser finalizados em um período de cerca de 60 dias, disseram as pessoas.

Os bancos pretendem transformar a transação, que deve ter prazo de vencimento de 5 anos, em títulos de crédito que eles depois possam vender a investidores.

Como incentivo, os bancos que participarem da operação de socorro ao Rio estarão melhor posicionados para assessorar o Rio nos planos de privatização da Cedae, segundo as pessoas. A Cedae tem um valor de R$ 5 bilhões a R$ 10 bilhões, segundo relatório do BTG Pactual.

O Credit Suisse e o BofA não quiseram comentar. O Bradesco disse não ter conhecimento do assunto. O governo do Estado do Rio de Janeiro confirmou negociar empréstimo de R$ 3,5 bilhões com bancos, sem citar nomes.

O Banco do Brasil disse que não pode participar do empréstimo, pois não tem autorização da lei.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ViP Berbigao

    quém quém quém … pra depois a União pagar a conta como ocorreu até agora… mais uma conta pendurada na conta de todos os brasileiros pagarem o pato… como era mesmo o lema daquelle povo…??? Não vamos pagar o pato? Mas como não se já somos o próprio pato!!!! quá quá quá…