Banco Central da China promete evitar relaxamento monetário agressivo

O presidente do Banco Central prometeu ampliar esforços para lidar com o impacto das incertezas nos mercados financeiros

O presidente do Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês), Yi Gang, prometeu evitar que medidas agressivas de relaxamento monetário afetem os esforços de desalavancagem estrutural de autoridades do país, num momento em que Pequim tenta sustentar o crescimento econômico com liquidez apropriada.

A demanda por crédito está caindo em meio às crescentes pressões sobre o crescimento econômico, ao mesmo tempo em que o apetite por risco dos bancos também diminui, segundo Yi, que falou em entrevista à agência oficial de notícias chinesa Xinhua.

No fim deste mês, o PBoC vai utilizar uma nova ferramenta monetária, conhecida como linha de crédito direcionada de médio prazo, que permitirá a bancos comerciais tomar recursos do BC chinês e repassá-los a pequenas empresas privadas a juros menores, afirmou Yi à Xinhua.

Yi também prometeu ampliar esforços para lidar com o impacto de “significativas incertezas financeiras” nos mercados financeiros de acordo com a Xinhua. 

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.