Atividade da indústria de SP deve recuar 9% em 2016, prevê Fiesp

No acumulado do ano até setembro, a queda é de 9,6% em relação a igual período do ano passado

São Paulo – O Indicador do Nível de Atividade (INA) da indústria paulista caiu 0,2% em setembro ante agosto, em cálculo com ajuste sazonal, informou nesta sexta-feira, 28, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Com o resultado, o INA fechou o terceiro trimestre com recuo de 2,3% em comparação com o segundo trimestre do ano, também com ajuste.

No acumulado do ano até setembro, a queda é de 9,6% em relação a igual período do ano passado. O tombo é o mesmo em 12 meses.

A manutenção do fraco desempenho piora a previsão da Fiesp para o resultado do ano inteiro, de retração de 6,4% para 9%.

“Talvez o PIB não caia tanto quanto no ano passado, mas o comportamento da indústria vai ser pior em 2016”, diz o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), Paulo Francini.

Sobre expectativas para 2017, o diretor de Depecon afirma que não enxerga recuperação e lembra que fatores que estimulariam a demanda, como emprego e renda, também estão em baixa, além do crédito, cada vez mais restritivo.

A pesquisa Sensor de outubro fechou em 48,1 pontos, na série livre de influências sazonais, número inferior ao de setembro, quando atingiu 48,9 pontos. Como está abaixo dos 50,0 pontos, o indicador sinaliza nova queda da atividade industrial no mês.

Em outubro, os únicos avanços do Sensor foram nas variáveis emprego, que passou de 47,7 pontos no mês anterior para 48,8 pontos, e mercado, que passou de 46,9 para 48,8 pontos.

No entanto, na parte de estoques, depois de três meses de ajuste, a variável passou de 52,8 em setembro para 48,9 em outubro.