Ata do BCE traz reforço opositor ao programa de compra de títulos

Ata da reunião de 8 de Dezembro mostrou que "alguns membros" se opuseram às propostas na mesa para continuar com a compra de títulos depois de março

Frankfurt – Os oponentes do programa de impressão monetária do Banco Central Europeu fizeram sua voz ser ouvida na última reunião do BCE, na qual as autoridades prorrogaram as compras de títulos apesar da melhora das condições econômicas, revelou a ata da reunião nesta quinta-feira.

A inflação na zona do euro está se recuperando, em grande parte devido à estabilização dos preços do petróleo.

Isso está alimentando os pedidos na Alemanha de uma redução no agressivo esquema de estímulo monetário do BCE de 2,3 trilhões de euros.

Num raro sinal de dissidência, a ata da reunião de 8 de Dezembro do Conselho do BCE mostrou que “alguns membros” se opuseram a ambas as propostas na mesa para continuar com a compra de títulos depois de março.

“Alguns membros não podiam apoiar nenhuma das duas opções que tinham sido propostas, embora recebessem bem a redução das compras”, mostrou a ata.

O conselho do BCE tinha apresentado planos para ou prorrogar as compras até dezembro a 60 bilhões de euros por mês, ou até setembro a 80 bilhões de euros. A última foi a adotada.