Após anos na liderança, Brasil é 3º lugar mundial em juros reais

A mudança ocorre após o Copom anunciar o terceiro corte consecutivo de 1 ponto percentual na Selic, que foi de 10,25% para 9,25%

São Paulo – O Brasil caiu do segundo para o terceiro lugar entre os maiores juros reais (juros nominais menos inflação) do mundo.

A conclusão é de um estudo realizado a cada reunião pelo site MoneYou com a Infinity Asset Management com 40 economias.

Com juros reais de 3,71%, ficamos atrás de Rússia (4,59%) e Turquia (3,93%) e logo na frente de Indonésia (3,36%) e Colômbia (2,06%).

A mudança ocorre após o Copom anunciar o terceiro corte consecutivo de 1 ponto percentual na Selic, que foi de 10,25% para 9,25%.

Nos últimos lugares do ranking estão países com juros reais negativos como Hungria (-2,20%), Reino Unido (-2,24%) e Bélgica (-2,30%).

A média geral é -0,2%. A Venezuela foi excluída por falta de dados confiáveis e a Nova Zelândia foi incluída recentemente por sua importância regional.

Metodologia

Vale lembra que a metodologia do estudo foi modificada recentemente após discussões com o Banco Central.

O ranking passou a adotar a taxa de juros referencial do dia, como o Swap DI Pré de 1 Ano, por considerar que ela exprime melhor os juros de uma operação real de mercado do que o referencial das taxas nominais aplicadas pela Selic.

Além disso, o ranking abandonou o uso da inflação passada dos últimos 12 meses (ex post) e passou a usar a inflação projetada para os 12 meses seguintes (ex ante).

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, vinha enfatizando que a medida ex-ante era mais adequada pois é a que mais influencia as decisões econômicas. A mudança no método favorece países onde a inflação está em queda livre.

Veja a taxa de juros reais (juro atual menos inflação dos próximos 12 meses) das 40 economias analisadas:

País Juros reais ex-ante
1 Rússia 4,59%
2 Turquia 3,93%
3 Brasil 3,71%
4 Indonésia 3,36%
5 Colômbia 2,06%
6 China 1,45%
7 México 1,43%
8 Índia 1,29%
9 África do Sul 0,86%
10 Argentina 0,36%
11 Nova Zelândia 0,11%
12 Cingapura 0,09%
13 Tailândia 0,07%
14 Chile -0,08%
15 Filipinas -0,22%
16 Polônia -0,23%
17 Malásia -0,29%
18 Canadá -0,34%
19 Austrália -0,35%
20 Israel -0,38%
21 Japão -0,48%
22 Taiwan -0,54%
23 Hong Kong -0,77%
24 Coreia do Sul -1,05%
25 Estados Unidos -1,06%
26 Suíça -1,13%
27 Dinamarca -1,25%
28 Grécia -1,43%
29 França -1,43%
30 Itália -1,63%
31 Holanda -1,63%
32 Portugal -1,73%
33 República Tcheca -1,75%
34 Alemanha -1,92%
35 Áustria -2,06%
36 Espanha -2,11%
37 Suécia -2,12%
38 Hungria -2,20%
39 Reino Unido -2,24%
40 Bélgica -2,30%
Média -0,20%