Aneel julga adiamento de pagamento de R$ 1,9 bi na CCEE

As distribuidoras terão de desembolsar R$ 1,9 bilhão pela energia adquirida em maio, mas apenas metade disso está coberto pela tarifa paga pelo consumidor

Brasília – A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai analisar nesta quarta-feira, 9, o pedido das distribuidoras para adiar a data de pagamento da energia no mercado de curto prazo.

O pedido será julgado em reunião extraordinária do órgão regulador, às 14h30, pois a data de pagamento é nos dias 10 e 11 desta semana.

As distribuidoras terão de desembolsar R$ 1,9 bilhão nesta semana na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) pela energia adquirida em maio.

Mas apenas metade disso está coberto pela tarifa paga pelo consumidor. As empresas pediram o adiamento da data, alegando não ter recursos para fazer frente a essa despesa.

Em ocasiões anteriores, toda vez que o pedido de adiamento foi aceito, o governo anunciou alguma medida de ajuda ao setor.

As concessionárias esperam contar com alguma solução para o problema financeiro que enfrentam, como um novo empréstimo bancário, intermediado pela CCEE. O financiamento de R$ 11,2 bilhões já foi totalmente utilizado.

Além disso, o Tesouro aportou neste ano R$ 4 bilhões à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), fundo setorial que transfere os recursos para as empresas, e reservou R$ 9 bilhões do Orçamento para este fim. No ano passado, o Tesouro aportou R$ 9,8 bilhões à CDE.