São Paulo - O mercado de luxo global inclui toda uma série de produtos e atividades - de hotéis a carros, passando por arte, cruzeiros e vinhos.

Mas seu núcleo são os "bens de luxo pessoais", que cresceram pouco em 2015 (1%-2% em termos reais) mas já representam 250 bilhões de euros globalmente.

O segmento foi prejudicado recentemente pela queda relativa do poder de compra dos consumidores de vários paises emergentes que tiveram moedas enfraquecidas em relação ao dólar.

"A desaceleração confirma a travessia para um 'novo normal' de crescimento mais baixo das vendas", diz o relatório da consultoria Bain & Company com os dados.

Acessórios continuam em primeiro lugar entre os bens de luxo pessoais, com 30% do mercado e 3% de crescimento, seguidos por vestuário na vice-liderança.

O terceiro lugar é do chamado "hard luxury", onde estão itens como joalheria (6% de crescimento) e relógios (6% de queda).

Os 5 países lideres em consumo de bens de luxo pessoais são, em ordem: Estados Unidos (€ 78,6 bilhões), Japão (€ 20,1 bilhões), China (€ 17,9 bilhões), Itália (€ 17,3 bilhões) e França (€ 17,1 bilhões).

Veja a seguir quais são as 12 cidades líderes deste mercado no mundo:

Tópicos: Bain & Company, Empresas, Cidades, Consumo, Estados Unidos, Países ricos, Europa, Reino Unido, Londres, Metrópoles globais, Luxo, Nova York, França, Paris, Rankings, Listas, Relógios