3 fatores que estão a favor do investimento no Brasil

“Parece que o crédito vai descongelar de cima para baixo. Está começando nas grandes empresas”, diz o economista-chefe do Itaú Unibanco

São Paulo – A recessão no Brasil é tão profunda que o PIB só deve voltar para o nível de 2014 em 2019, totalizando 5 anos perdidos.

A boa notícia é que o investimento deve reagir nos próximos anos graças a uma combinação de três fatores.

O primeiro é a queda forte dos juros. O Itaú Unibanco prevê corte de 0,50 ponto percentual na Selic em dezembro após a queda de 14,25% para 14% na última reunião – primeiro corte desde 2012.

O Banco Central fala muito na agenda de reformas fiscais, que avançou nessa semana com a aprovação em segundo turno da PEC de teto de gastos, mas esperava para ver o vigor da atividade econômica.

“Eles vão ver que não foi só agosto que foi ruim, setembro também não teve a recuperação esperada”, diz Felipe Salles, economista do Itaú Unibanco, com base no PIB mensal calculado por sua equipe.

O segundo motor da volta do investimento é a desalavancagem das empresas, que estão conseguindo renegociar seus aluguéis e custos de fornecimento, trabalho e dívida.

“Parece que o crédito vai descongelar de cima para baixo. Está começando nas grandes empresas”, diz Mário Mesquita, economista-chefe do banco.

Outro fator positivo é a estabilidade dos preços das commodities na medida em que a China desacelera de forma organizada.

Enquanto ela continuar crescendo, o que é esperado no médio prazo, as commodities ficam estáveis – ajudando países como o Brasil.

O padrão histórico mostra uma relação forte entre os preços de commodities e o nível de investimento por aqui.

As concessões e privatizações não entraram na lista do Itaú de fatores que favoreceriam o investimento.

Segundo Mesquita, o “estrago reputacional” do governo anterior foi grande, e o novo modelo ainda não deixa claro como será a proteção cambial para investidores estrangeiros.

A exceção é o setor de petróleo, onde mudanças recentes nas regras do pré-sal podem atrair o interesse de empresas estrangeiras.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Januario Neto Souza Neto

    moda

  2. Maurício Martins Saraiva

    Além da queda dos juros básicos, que é o fator principal, também ajudam o equilíbrio político do governo Temer, um Congresso unido pelas reformas e a derrota eleitoral da esquerda. O vento é favorável.