2012 será ano de economia “paranormal”, adverte Bill Gross

O ano será de muitas dívidas, pouca confiança e um cenário muito pouco animador para a economia global, diz gestor da maior empresa de investimento em títulos do mundo

São Paulo – Bill Gross, gestor da maior empresa de investimento em títulos do mundo, a Pimco (Pacific Investment Management Company), divulgou hoje uma carta com suas previsões para a economia mundial em 2012. Em resumo: muitas dívidas, pouca confiança e um cenário muito pouco animador.

Gross categorizou o instável momento da economia como “paranormal” e alertou que o ano será de aversão a risco e poucos incentivos para a oferta de crédito.

“É como se a Terra tivesse agora duas luas em vez de uma e ambas estivessem crescendo em tamanho, como um tumor canceroso que pode ameaçar as marés e oceanos financeiros e a vida econômica como a conhecemos na última metade de século”, disse Gross em uma carta carregada de metáforas aos investidores.

Segundo Gross, o termo “novo normal”, cunhado no passado por seu parceiro no comando da Pimco, Mohamed El-Erian, para definir uma economia com pouco crescimento e altas taxas de desemprego já não é suficiente para descrever a situação atual – apenas o “paranormal” descreve o cenário, que deve piorar ainda mais este ano, segundo ele.

“O que resta são rendimentos perto de zero e credores que não confiam em ninguém e em muito poucos países. Os mercados financeiros estão implodindo lentamente – desalavancando – porque há muito papel e muito pouca confiança”, disse ele.

Diante deste cenário, o investidor prevê dois caminhos, ambos pouco animadores: desalavancagem ou aumento da inflação via Banco Central. Ele alertou ainda que os investidores devem reduzir suas expectativas, projetando retorno entre 2% e 5% para investimentos em ações, títulos e commodities neste ano.