Pacientes são mais sinceros com computador do que com médico

Pacientes se sentem mais à vontade para se abrir quando estão se relacionando com um computador do que com um médico real, mostra uma pesquisa americana

São Paulo – Pacientes se abrem com mais naturalidade e passam mais informações pessoais a computadores do que a médicos. Essa é a conclusão de uma pesquisa chamada “É só um computador: humanos virtuais aumentam vontade de contar”.

Quatro pesquisadores americanos trabalharam na pesquisa. O resultado encontrado é que os pacientes passam informações com maior honestidade e transparência quando são informados que estão falando exclusivamente com um computador.

A questão de um paciente se abrir para um médico é crucial em tratamentos e, às vezes, pacientes se sentem pouco à vontade para falar. Algumas perguntas envolvem aspectos muito íntimos da vida do paciente, como perguntas sobre hábitos e escolhas sexuais.

O experimento foi feito com 239 adultos americanos. Eles interagiram com uma imagem virtual de um médico por um computador. Para metade, foi dito que nenhuma pessoa real acompanhava a conversa. Para a outra metade, o contrário.

Os cientistas descobriram que aqueles que acharam que não havia ninguém observando, foram muito mais sinceros e forneceram mais informações.

A descoberta foi corroborada pelas expressões faciais. Quando os pacientes achavam que tinham uma com mais sinceridade as emoções. relação somente com um computador, suas feições mostravam

“Eles permitiram que eles mesmos mostrassem mais intensidade em expressões de tristeza”, escrevem os pesquisadores. “Eu não me sinto muito à vontade falando sobre assuntos pessoais com outra pessoa”, confessou um dos participantes da pesquisa.