No futuro, telas se ajustarão para descartar uso de óculos

O display de notebooks e tablets poderá antecipar a distorção da imagem e reajustá-la automaticamente para dispensar a necessidade de lentes oculares

São Paulo – No futuro, as telas de notebooks e tablets poderão se ajustar para que o usuário não precise de óculos para enxergá-las.

É o que almeja um projeto liderado por um pesquisador da Universidade de Berkeley, na Califórnia, em parceria com profissionais da Microsoft e do MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Essencialmente, o display poderá antecipar a distorção da imagem e reajustá-la automaticamente para dispensar a necessidade de lentes oculares.

Milhões de pessoas em todo o mundo precisam de óculos ou lentes de contato para ver ou ler corretamente. Apresentamos uma tecnologia computacional de tela que pré-distorce o conteúdo presente para o observador, dessa forma, a imagem é percebida sem a necessidade de um acessório ocular, de acordo com o relatório da pesquisa.

A tecnologia funciona com algoritmos para alterar a imagem de acordo com a necessidade do usuário por meio de um filtro de luz localizado à frente do display.

As luzes dos pixels são alteradas por um filtro de plástico com pequenos furos para que os raios de luz cheguem à retina da forma como deveriam, levando em conta a hipermetropia do usuário.

Agora, vivemos em um mundo em que as telas são onipresentes, e ser capaz de interagir com os monitores é algo que parece normal. Mas as aberrações de alta ordem têm frequentemente irregularidades na forma da córnea, e este formato irregular dificulta muito a criação de uma lente de contato que caiba, afirmou Brian Barsky, o líder do projeto, que também é professor de ciência da computação da Universidade de Berkeley e professor afiliado ciência da visão e optometria.

Com o projeto, a ideia é ajudar também pessoas que tenham limitações de visão para trabalhar com telas, algo comum em serviços de escritório.

Apesar de ter o envolvimento de duas universidades e da Microsoft, a tecnologia ainda não tem previsão de chegar ao mercado, visto que está em fase embrionária.

Veja o vídeo de divulgação do projeto a seguir:

//www.youtube.com/embed/6V2x3nLQdA0