Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,29%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa -0,62% 63.686 pts
Pontos 63.686
Variação -0,62%
Maior Alta 3,45% FIBR3
Maior Baixa -3,20% TIMP3
Última atualização 29/05/2017 - 15:24 FONTE

Mackenzie abre núcleo de estudos que contesta teoria da evolução

O Núcleo Discovery-Mackenzie tem como objetivo promover os estudos de fé, ciência e sociedade

São Paulo – A Universidade Presbiteriana Mackenzie abriu um novo espaço para que professores e alunos discutam a origem da vida e questionem uma das principais teorias da biologia: o evolucionismo. O chamado Núcleo Discovery-Mackenzie é uma parceria entre a instituição brasileira e o Discovery Institute, um instituto americano que promove o estudo da Teoria do Design Inteligente (TDI).

Para os estudiosos do TDI, certas características do universo e dos seres vivos são tão complexas que só podem ser explicadas por uma causa inteligente. Assim, células e moléculas precisaram passar pela intervenção de algum tipo de inteligência para existir “e não por um processo não direcionado, como a seleção natural”, como aponta o site oficial do Discovery Institute.

A seleção natural é um dos mecanismos básicos da teoria da evolução proposta por Charles Darwin em seu livro A Origem das Espécies, de 1859. Segundo ela, indivíduos melhores adaptados à determinada condição ecológica têm mais chance de sobreviver e deixar descendentes.

Até hoje, a teoria da evolução é uma das mais aceitas entre os membros da comunidade científica para explicar a origem da vida e a evolução humana. Além disso, ela é amplamente ensinada em escolas de diversas partes do mundo.

O Discovery Institute, aliás, já tentou colocar o TDI dentro da grade de escolas públicas dos EUA. Um dos casos mais conhecidos é o de Kitzmiller contra o Distrito Escolar da área de Dover, na Pensilvânia, em 2005. Na época, o distrito mudou seu currículo de ensino da matéria de biologia para exigir que o TDI fosse apresentado como alternativa ao evolucionismo.

Onze pais de alunos da região processaram o distrito sob a alegação de que o design inteligente não passava de um tipo de criacionismo (crença religiosa de que os seres vivos foram criados por um ser superior).

O juiz John E. Jones III chegou ao veredito de que o ensino do design inteligente viola a Cláusula de Estabelecimento da Primeira Emenda à Constituição dos Estados Unidos. Segundo ele, o TDI não é ciência e “não pode desacoplar-se do seu criacionista, portanto religioso, antecedente”.

O teólogo e pastor presbiteriano Davi Charles Gomes, chanceler da universidade, ressalta em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que o Núcleo Discovery-Mackenzie não é um espaço de TDI, mas de estudos de fé, ciência e sociedade. “Nossa instituição é confessional, o que significa que ela tem uma visão segundo a qual o mundo tem um significado transcendente. E não existe ciência que, no fundo, não reflita também sobre coisas transcendentes.”

Quem faz afirmação parecida é Marcos Eberlin, presidente executivo da Sociedade Brasileira do Design Inteligente e futuro coordenador do núcleo da Mackenzie. “Tem gente que acha que o design vem dos ETs, outros falam de um Grande Arquiteto do Universo, como os maçons, ou um espírito evoluído, como os espíritas”, disse em entrevista à Folha.

Já Maria Cátira Bortolini, geneticista da UFRGS, disse ao jornal que a teoria descarta evidências, fatos e provas científicas. “O que importa é a narrativa, construída de forma que se coadune com a ideologia ou a crença do sujeito.”

Veja também
Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Cidadão Lucido

    A matéria está com alguns equívocos:
    -Teoria do evolucionismo não trata de origem da vida (trata da mudança das especies ao longo do tempo).
    -Qualquer teoria cientifica deve ser colocado a prova, ou seja tentar provar que ela é falsa (e o evolucionismo já foi colocado a prova até mesmo fora da biologia).

  2. Fernando Vieira

    Tenho uma teoria, onde muito darão risada dela. Segundo a Bíblia, em Gênesis 6:4 os filhos do Verdadeiro Deus (os anjos – criaturas espirituais), materializaram–se é tiveram filhos com humanas e geraram um prole híbrida. Penso que antes disto tenham tentado gerar um prole com animais, neste caso, com primatas e está é a razão dos fósseis disformes encontrados. Também daqueles outros fósseis que estão com os crânios estourados e sepultados numa caverna. Foi uma tentativa que não deu certo e depois disto tentaram com humanos e o Criador os eliminou no dilúvio. Como eu escrevi, trata-se de minha singela explicação para justificar os fósseis já encontrados, tanto dos disformes quanto dos nefilins.

  3. arthur bezerra

    Eu acho que foi uma licitação fraudulenta feita por seres alienígenas, que deu errado e resultou no homo sapiens.