Lua de Saturno pode abrigar um mar morto

A descoberta foi feita por cientistas do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), da NASA (agência espacial americana)

São Paulo – Titã, a maior lua de Saturno, pode abrigar um mar morto.

Testes feitos em laboratório sugerem que a lua tem uma piscina de etano repleta de benzeno, assim como o Mar Morto é cheio de sal.

A descoberta foi feita por cientistas do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), da NASA (agência espacial americana).

Titã chama a atenção dos cientistas por ser o corpo do sistema solar mais parecido com a Terra. A lua tem uma atmosfera espessa e uma superfície moldada por ventos e chuvas.

As montanhas e dunas de Titã são feitas de gelo e os lagos são formados por hidrocarbonetos líquidos. Os mares e lagos de sua região polar são repletos de metano e etano.

Segundo a NewScientist, quando a luz do Sol interage com a atmosfera da lua cria componentes orgânicos como o benzeno, que caem como neve em Titã.

Os pesquisadores queriam saber quanto dessa neve pode se dissolver nos lagos. Encheram um pequeno tubo com etano líquido, refrigeraram na temperatura da Lua e adicionaram benzeno.

O benzeno de dissolveu rapidamente, apesar da temperatura congelante. Segundo os pesquisadores, o resultado sugere que os lagos de Titã ficaram saturados com compostos orgânicos durante a história geológica da lua.

O excesso de benzeno pode formar uma lama em volta dos lagos. Alguns destes depósitos podem ser corroídos pelo etano, formando uma paisagem complexa cheia de buracos, cavernas e rios subterrâneos.

Os cientistas esperam que a sonda Cassini, que orbita o sistema de Saturno, possa ajudar a encontrar sinais de lodo de benzeno ou determinados tipos de relevo quando passar por Titã em 21 de agosto.

Enquanto isso, os pesquisadores planejam simular mais lagos em laboratório para ver como outros materiais orgânicos, como dióxido de carbono, cianeto de hidrogênio e butano se dissolvem diante das características de Titã.