Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Hormônio reduz efeito psicoativo da maconha, diz estudo

Descoberta ajudará na cura do vício e a isolar as propriedades medicinais da erva

Washington – Uma equipe internacional de cientistas descobriu que um hormônio esteroide natural reduz a euforia causada pela substância psicoativa da maconha, segundo um artigo publicado nesta quinta-feira pela revista Science.

Os pesquisadores descobriram que o hormônio pregnenolona diminui a atividade no cérebro do receptor tipo 1 de canabinoide, o que elimina o “barato” causado pelo tetrahidrocanabinol (THC), a principal substância psicoativa da maconha.

Este descobrimento pode levar a novos métodos de tratamento da intoxicação e da dependência de maconha e, segundo o artigo, “também permitiria que os pesquisadores isolassem as propriedades medicinais da erva, bloqueando seus efeitos sobre o comportamento”.

Os hormônios esteroides são moduladores importantes da atividade do cérebro e do comportamento, e desempenham papéis cruciais na regulação de atividades fisiológicas como o comer, o despertar, a reprodução e o comportamento sexual, e participam da regulação da memória e dos estados de ânimo.

A pregnenolona é considerada como a precursora inativa de todos os hormônios esteroides e, segundo os autores, seus efeitos funcionais não foram investigados o suficiente.

“A administração de THC aumenta substancialmente a síntese da pregnenolona no cérebro pela ativação do receptor Tipo 1 de canabinoide”, acrescentou o estudo. “A pregnenolona, então, atua como inibidor específico de sinal do receptor e reduz vários efeitos do THC”.

“Esta reação negativa mediada pela pregnenolona revela um ciclo, que antes era desconhecido, que protege o cérebro da ativação excessiva do receptor, o que poderia abrir o caminho para o tratamento da intoxicação e da dependência de maconha”, sustentou o artigo.

Os pesquisadores fizeram experimentos com ratos de laboratório para determinar de que forma as drogas mais consumidas, como a cocaína, a morfina, a nicotina e o álcool, afetam os neuroesteroides, isto é os esteroides produzidos diretamente no cérebro dos roedores.

Inesperadamente, descobriram que o THC, em particular, conduz a um aumento enorme da pregnenolona, um dos hormônios que formam os neuroesteroides, através da ativação do receptor de canabinoide nos ratos.