Enterprise sobrevoa céu de Nova York em seu último voo

O Enterprise sobrevoou lugares emblemáticos da cidade como a Estátua da Liberdade, o Lincoln Center e as conhecidas pontes locais

Nova York – O ônibus espacial Enterprise, acoplado a um avião Boeing 747, sobrevoou nesta sexta-feira o céu de Nova York, onde muitos nova-iorquinos o esperavam com expectativa para presenciar seu último voo rumo a seu destino final, o museu naval Intrepid, a bordo de um lendário porta-aviões.

O Enterprise sobrevoou lugares emblemáticos da cidade como a Estátua da Liberdade, o Lincoln Center e as conhecidas pontes locais antes de aterrissar no aeroporto internacional John F. Kennedy, procedente de Dulles (Virgínia), ao oeste de Washington.

Batizado Enterprise em homenagem à principal nave da frota da Federação de Planetas Unidos da série televisiva “Jornada nas Estrelas”, o ônibus especial da NASA (agência espacial americana) riscou o céu nova-iorquino a baixa altitude para poder ser observado por moradores e turistas.

A nave chegou depois ao JFK, onde será desmontado do Boeing 747 modificado em que foi transportado e depois será colocado em uma barca que o rebocará rio acima pelo Hudson até o Intrepid, um porta-aviões da Marinha americana transformado em museu flutuante em 1982 e que será sua casa temporária a partir de junho até que possa ser visitado em uma exposição prevista para meados do mês seguinte.

A NASA explicou que um guindaste içará a nave espacial e a colocará na plataforma do Intrepid, onde será exibido ao público dentro de um pavilhão temporário com clima controlado.

O diretor da NASA, Charles Bolden, destacou que o Intrepid foi escolhido como casa da nave por sua história e “porque o Enterprise é um tesouro nacional e ajudará a inspirar a próxima geração de exploradores”.


“Será a maior atração espacial do nordeste do país. Quando vierem visitá-la, as pessoas não só contemplarão a nave, mas também participarão de uma experiência interativa”, antecipou a presidente do museu Intrepid, Susan Marenoff-Zausner.

O Intrepid também ocupa uma parte importante na história americana, já que participou de batalhas navais e aéreas no Pacífico Sul durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e na Guerra do Vietnã (1964-1975).

O Enterprise, construído entre 1974 e 1975, nunca realizou uma missão ao espaço, pois foi o protótipo para construir outras naves que realizaram missões além da órbita terrestre, e com ela se trabalhou para que as naves pudessem retornar à terra e serem usadas repetidas vezes.

O governo do presidente Barack Obama decidiu em 2011 pôr fim ao seu programa de naves espaciais, depois que terminou de construir a Estação Espacial Internacional, um programa no qual colaboraram 15 países.

As naves que participavam dessas missões foram exibidas em todo o país, como ocorreu com o Discovery, que no último dia 17 de abril efetuou seu voo final desde Cabo Canaveral (Flórida) até o aeroporto Dulles, que, igualmente acoplado a um 747, deu um passeio aéreo por Washington.

Outros naves históricas, como o Endeavour, serão abrigadas no Centro de Ciências de Los Angeles (Califórnia) nos próximos meses, enquanto o Atlantis repousará para sempre no Centro Espacial Kennedy da Flórida.