Torneio para engenheiros dá emprego que paga US$100 mil por ano

Competição é no próximo sábado em São Paulo e os 50 melhores engenheiros de software serão recrutados para trabalhar em home office

São Paulo – Inédito no Brasil, um torneio de contratação no próximo sábado, dia 29 em São Paulo (SP), vai oferecer a 50 engenheiros de software, que entendam de Java Script, emprego com salário anual de 100 mil dólares (equivalente a 314 mil reais) em uma das empresas da lista das mil maiores dos Estado Unidos, segundo a revista Fortune.

Interessados podem se inscrever no site do evento. Os profissionais brasileiros contratados vão trabalhar em home office, e, portanto, não precisará se mudar do país.

Quem promove a competição, que já teve edições na Polônia, Rússia, Egito e Paquistão, é a empresa global de recrutamento Crossover, que tem sede no Texas, e escolheu o Brasil para fazer a primeiro evento do tipo na América do Sul. Em todo mundo, mais de 100 engenheiros de software já foram recrutados desse jeito.

O torneio, parecido com competições do tipo hackaton, é para engenheiros de software de nível sênior e vai contar com uma série de testes, entre eles desafios de codificação, e também uma entrevista técnica. Para os 50 melhores serão oferecidos empregos remotos em companhias como Aurea Software, Jive, CrazyEgg e Versata.

Falar inglês é obviamente um requisito. Os cargos disponíveis são para arquiteto chefe de: Angular 2 Front-End, ReactJS Front-End, Full Stack Node.js, segundo as informações publicadas no site de inscrições.

O trabalho será em período integral e de longa duração com jornada semanal de 40 horas, em horários totalmente flexíveis. Segundo comunicado da Crossover, os profissionais podem por exemplo, tirar a segunda-feira de folga e compensarem em outros dias ou ainda trabalharem só de noite e descansarem durante o dia.

O dinamismo e a baixa rotatividade são os dois motivos para a Crossover apostar no Brasil. A empresa já contratou 150 profissionais brasileiros para projetos nas áreas de software corporativo, desde serviços de telecomunicações e financeiros a comércio eletrônico e pesquisa e desenvolvimento.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Luís Ferracini

    A Revista Exame e a Empresa Catho afirmam que quem fala inglês vale 61% a mais, em média, do que quem não fala inglês e eles também afirmam que o número de pessoas desempregadas é muito maior entre os que não falam inglês. Encontrei um método para APRENDER INGLÊS (http://bit.ly/2sXQbcP) que mostra como em 8 SEMANAS você pode ter o resultado que levaria 5 anos para alcançar em outras escolas de inglês. Fantástico!