Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Professor aponta erro de crase em manchete de jornal de hoje

Diogo Arrais explica por que faltou a crase na manchete: "Temer cede a pressão e indica Moraes para vaga no Supremo"

Pela manhã, recebi a seguinte mensagem de uma querida leitora

Meus olhos pularam ao ler a manchete abaixo. Não deve ocorrer crase? Segue:

 Temer cede a pressão e indica Moraes para vaga no Supremo

  O verbo “ceder” provém do latim  “cedere” e tem alguns possíveis significados. Pode ser transitivo direto e indireto, no sentido de transferir a outrem direitos, posse ou propriedade de alguma coisa. Vejamos dois exemplos:

“Silva cedeu à mãe a sua parte na herança.”

“Cedo-lhe minha casa de campo por uma semana.”

No entanto, no sentido de não resistir, sucumbir, dobrar-se, curvar-se (que é o da manchete), o verbo exige preposição “a”. Vejamos um trecho machadiano, em Dom Casmurro:

“Governou como a cara dele! – atalhou tio Cosme, cedendo a antigos rancores políticos.” 

Cara leitora, um bom macete, para comprovarmos a ocorrência ou não de crase, é usar uma palavra masculina:

“Temer cede AO APERTO e indica Moraes para vaga no Supremo”

Como a palavra masculina é precedida por preposição e artigo, há crase diante da palavra feminina (no texto original, a palavra feminina pressão).

Apesar da crítica, há uma corrente que defende a possibilidade de o escritor generalizar a ideia vocabular, sem determiná-la por meio do artigo definido feminino, deixando apenas o “a” prepositivo. Ressalta-se também que, em manchetes, há a cultura jornalística de se evitar o uso de artigos. Em outros termos, foi utilizado PRESSÃO genericamente, não aquela determinada pressão.

Existe uma expressão que mostra essa presença apenas da preposição: “Veículo movido a gasolina”. Note que, ao compararmos com uma palavra masculina, não percebemos o artigo definido masculino: “Veículo movido a álcool”.

 Com o verbo  “ceder”, não vejo tal possibilidade de se generalizar. Se fosse o redator da manchete, seguiria o recomendado pela Regência; sinalizaria a ocorrência de crase:

“Temer cede à pressão e indica Moraes para vaga no Supremo”

Um grande abraço e até a próxima! Venha estudar comigo!

Diogo Arrais

@diogoarrais

Professor de Língua Portuguesa – CPjur

Autor Gramatical pela Editora Saraiva

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sandra Boiago

    E se o jornal usou a expressão feminina com sentido geral?
    Cede a projeto. Cede a pressão.
    Cede ao projeto. Cede à pressão.
    A presença ou a ausência do artigo é um fator que define o grau de particularidade, especificação do termo regido. Talvez o jornal não teve a intenção de particularizar o termo, afinal, isso só foi feito no corpo do texto.