Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

O Campus São Paulo, do Google, pretende criar uma comunidade de empreendedores

Nova iniciativa do Google, o Campus São Paulo vai reunir empreendedores e incentivar os negócios digitais no Brasil

Embora seja uma empresa que aposta em produtos online, o Google tem algumas iniciativas físicas ao redor do mundo. E uma delas chegou ao Brasil no mês passado: o Campus São Paulo, um prédio de cinco andares instalado na região da Avenida Paulista que vai abrir as portas para quem tem ideias de negócios digitais. O objetivo do projeto é criar uma comunidade de empreendedores que poderão usar o espaço para trabalhar, fazer networking e participar de eventos e cursos. O Campus São Paulo se une a outros cinco campi do Google ao redor do mundo, em cidades como Londres, Tel Aviv e Seul. “Queremos aumentar a densidade de startups no país porque, quanto maior o número de startups, maior a chance de surgirem empresas de sucesso”, diz André Barrence, diretor do Campus. “Além disso, o movimento de empreendedorismo digital aumenta a geração de empregos, algo importante para o momento de crise pelo qual passamos.” 

Leia mais

+ Economia com apps de caronas e compartilhamento de carros pode chegar a R$ 700 por mês

+ Na contramão da crise, indústria de papel e celulose cresce e continua contratando

+ O que esperar da economia após o impeachment

A arquitetura do prédio ajuda na interação, há cafés, espaço para coworking e salas temáticas, como a “Vaca Amarela”, em que o silêncio é sagrado. Para entrar nessa comunidade, não é preciso pagar nada, apenas se inscrever no site campus.co/sao-paulo, o que dá direito ao uso de alguns andares. E há, também, a chance de os empreendedores se transformarem em residentes, recebendo mentoria do Google e tendo acesso 24 horas a todos os espaços do prédio. Para isso, devem se inscrever no site até dia 8 de julho. Nessa primeira etapa, serão selecionadas entre 10 e 15 startups. “Procuramos negócios inovadores que tragam soluções que possam ser expandidas globalmente”, diz André. 

Esta matéria foi publicada originalmente na edição 216 da revista Você S/A e pode conter informações desatualizadas

Você S/A | Edição 216 | Julho de 2016 

Assine